Estamos de volta!




Foram trinta dias de férias, que passaram intensa e rapidamente como um foguete. Era preciso um descanso na alma, era preciso reencontrar nossa outra metade. Quando paramos, os ruídos internos diminuem e a nossa voz lá de dentro fica mais forte. Desabrochamos então em inspiração, alegria, criatividade. E damos à nossa alma, o sossego que ela merece. Como é importante deixá-la simplesmente SER. Uma das coisas que refleti, nesses meus momentos de sossego...


Uma pequena parte dos nossos amigos e familiares na Suécia, no dia que comemoramos os 4 aninhos do Benjamin.

OOOPS! UMA IMPORTANTE PAUSA AQUI...


[Sossego das obrigações trabalhistas, que digo... Porque viajar para a Suécia - aonde temos a outra metade da nossa família é sempre intenso em - TODOS - os sentidos. É longe pra caramba e viajar longas horas com uma criança de 09 anos e uma de 03 é sempre desafiador. Quando chegamos por lá queremos sempre fazer tudo, visitar todos os amigos e familiares, comer todas as comidas, comprar todas as coisas que só compramos por lá, visitar todos os lugares que nos são importantes, etc. No final das férias pedimos sempre férias das férias - mas ainda assim nos nutrimos, ganhamos muito, renovamos a energia]




Enfim, uma das coisas que andei refletindo nesse período das férias é sobre como o meu corpo clama por esse sossego.


Eu sou muito intensa e faço muitas coisas, as quais virginiana que sou, quero sempre fazer da melhor forma possível. Às vezes, me esqueço que para além de uma mente e um coração, criativos e cheios de vontade de mudar o mundo, existe um corpo a sustentar tudo isso. E às vezes ele grita pedindo pausas. Temos que ouví-lo.


Desconectar-se para então se reconectar.

/

O que você faz para se permitir esse instante de pausa?


Leio. Rezo. Escrevo. Pinto. Amo. Planto. Tiro os sapatos. Piso na grama molhada. Acendo um incenso. Acendo uma vela. Acendo o aromatizador de ambientes. Acendo um cigarro de ervas. Sem tabaco. Sem nicotina. Inalo e exalo: rosas e alecrim. Me abraço. Te abraço. Mergulho. Em nós dois. E no infinito de cada um. Vou de chá. Às vezes, café! Escrevo uma poesia. Ou busco alguma que ainda não li. Vibro. Choro. Sonho alto. Falo sozinha e com as flores, do meu jardim. Medito. Escuto o som dos pássaros. E do Deezer. Sorrio. Respiro. Corro. Suo. Canso. Caminho. Depois corro de novo. E canso de novo. Depois descanso. Aí me acalmo. Mando um áudio para as amigas. Gargalhamos juntas, do cansaço e das desventuras da vida. Abro uma garrafa de vinho. Me permito tomar devagarzinho. Cheiro meus filhos. Me inebrio. Lembro dos partos. Do peito. Agradeço. E vejo como estão grandes! Abro um chocolate. A tampa de um batom. Vermelho. Me pinto. Fico a lhe desejar, me desejando inteira, pra ti. Recordo e sinto saudades. Olho pro agora, me faço presente, sou só presente. Viajo então, com o que ainda há por vir.


É... Sabe? Eu fico pensando e acho que é das pausas que a vida nos presenteia, que quando ficarmos bem velhinhos, vamos lembrar.

Espero que possamos pausar mais e mais.

Depois voltamos inteiros, e podemos seguir com a labuta.


Energia renovada. Estou cheia de inspiração. Com muita vontade de trazer novidades por aqui.

E teremos novidades. É só acompanhar! :)


Sobre as férias, acho que de tanta coisa pra contar: vou contando aos pouquinhos e em pedaços.


Por agora... Que tal deixar seu comentário, me contando o que gosta de fazer para se acalentar, quando seu corpo clama por conforto, carinho e um retorno à sua própria alma e Existência?


INSCREVA-SE TAMBÉM NA MINHA NEWSLETTER E FIQUE SABENDO DE TUDO O QUE ROLA EM PRIMEIRA MÃO

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • whatsapp
  • mail-2

© 2020 . eutedouaminhapaz

ETDMP_2020_Logo.png
0