• Isabella Stephan

Mudanças são sempre bem-vindas!

Atualizado: 23 de Jun de 2019

Tem tanta coisa acontecendo na minha vida que ando até meio tonta. Casa em reforma, decisões importantes na minha vida pessoal tomadas, curso em andamento, novos projetos profissionais...

Acho que vocês já perceberam lá no Instagram que tem coisa nova vindo por aí.


Fato é que de tempos e tempos eu passo por esses períodos. Eles são sempre seguidos de alguma crise. E de fato a crise quando se instala em mim sempre faz um alvoroço daqueles, porque costuma vir de uma forma bem profunda. Aí eu saio do casulo e sou uma nova mulher! Quase assim... #sqn


Fato é que saindo da crise: quanta mudança vem vindo. Quanta transformação. Interna. Externa. Na forma como me posiciono frente à minha própria Existência. No reconhecimento e nas reconfigurações do que quero (e mereço) para mim.

Reflexões sobre o quanto posso ser útil e importante para o planeta.



Diante de tudo isso me sinto impulsionada à vir até aqui transformar em palavras um pouco do que vem acontecendo - até para atualizar vocês. Mas entendam! Tudo isso é PROCESSO.

E como todo processo, ainda tem muita coisa reverberando, se modificando, surgindo ou partindo...


A Eu te dou a Minha Paz começou há três anos como um projeto super tímido em que eu passei a experimentar com diferentes materiais artísticos reunindo versos e ilustrações (BEM amadoras!). O destino quis que alguns pedidos começassem a surgir e a marca foi então acontecendo.


Fui então me encorajando, resgatando a Arte que sempre havia me habitado mas vinha sendo negligenciada; fui fazer a minha pós-graduação em Arteterapia e Expressões Criativas - em abordagem junguiana (ali era um espaço em que eu visualizava congruências entre o que eu fazia no meu trabalho como assistente social que atendia vítimas de violência em uma comunidade do DF e a expressão por meio da Arte e da Poesia).


A arte estava ali, me curando e meu peito latejava para apontar esse caminho também para outras pessoas.


Foi bem engraçado.

Comecei a ouvir que meu sorriso estava mais bonito e meus olhos brilhavam mais. Eu mesma, que já tinha passado por tantas dores, perdas, desafios - assim como você também.

Acho que ali era um resgate mesmo que se instalava: era eu, me re-encontrando e voltando a sorrir de dentro pra fora. Ao criar, eu também me re-criava. E ao me recriar descobria um mundo de novos potenciais e a cura ia acontecendo...


Altos e baixos, temporadas de muitas feiras e outras de maior refúgio, momentos de muita criação e outros de bloqueio - assim como a vida como ela é, de fato é, né, gente? E a marca foi rolando, rolando, rolando... Tudo no #vamoquevamo , no intuitivo, aprendendo por meio de várias fontes aleatórias, as quais eu ia pescando daqui e de lá. Comecei a me sentir meio barata tonta.


Senti minha Alma falando mais forte que era hora de buscar um caminho ainda mais Meu - mais autoral.

Atrelado à quem eu sou, ao que acredito, atrelado à toda a minha história de vida, focado no desenvolvimento dos meus propósitos, alinhado com a minha vontade de estar no controle da minha própria Caminhada e realmente deixar a "Isabellinha" (minha criança interior) estampada no mundo.