• Isabella Stephan

Oficina Respiro - uma vivência arteterapêutica com técnicas de aquarela.

Atualizado: Mai 17


Foi no início da pandemia que eu dei início às oficinas online de aquarela. Ela surgiu para honrar tudo o que essa técnica maravilhosa me proporcionou. Esse já é o segundo ano no qual eu realizo, quase que mensalmente, essa oficina. E nesse post aqui do blog eu vou contar um pouquinho mais para você sobre essa experiência criativa que eu criei para:


Nessa experiência, eu, Isabella Stephan, Assistente social, arteterapeuta Junguiana, artista, poeta e estudiosa da teoria analítica de Carl Gustav Jung - mas também mãe, mulher, Vida em constante busca por desenvolvimento pessoal, tenho como desejo:

  • Levar conhecimento introdutório sobre a Aquarela para vocês;

  • Proporcionar uma experiência de cuidado, cura e transformação, especialmente no que tange ao equilíbrio entre duas necessidades humanas - a necessidade de contenção e a de fluidez.


Eu quis honrar a aquarela porque foi exatamente ela que me re-conectou de forma mais profunda ao mundo da arte em uma das aulas que tive ainda quando estava em formação no curso de pós-graduação em arteterapia junguiana. Eu brinco que o contato com a aquarela foi um grande portal para mim! Um portal que abriu novas possibilidades relacionadas ao cuidado comigo mesma.


A aquarela me seduziu com todo o seu potencial de amparo à expressão e maturação das minhas emoções, ajudando-me então a me auto-regular melhor na Vida. Desde então eu passei a acreditar que mais pessoas deveriam experimentá-la e sentir o prazer que ela trás.


A Oficina Respiro tem tudo haver com o nome!


Ela quer ser uma pausa na sua rotina, um momento de contato consigo mesma, uma inspiração do Novo e exalação do que já não lhe serve mais.


Ela quer oportunizar tempo e espaço para acolher o Sossego, o cultivo do Prazer e transbordamentos da magia que a Sua criatividade é capaz de oferecer.


Por ser um material de conexão ao elemento água, a aquarela tem um poder imenso de nos afetar! Na linguagem simbólica, Jung falava que a água é o elemento que comunica aspectos relacionados às nossas emoções.


Em uma pesquisa feita em um Dicionário de Símbolos, me deparei com a riqueza simbólica do elemento água. Ele me trouxe que:


(...) a água fala da origem da vida, da fecundidade, da fertilidade, da transformação, da purificação, da força, da limpeza. Em muitas religiões, ela se relaciona a purificação e a cura. No catolicismo, ela está presente na forma de "água benta" em muitos rituais. No batismo ela lava os sujeitos do pecado original. No espiritismo, bebemos "água fluidificada" para obter curas físicas, emocionais ou espirituais. No hinduísmo, em dia de ano-novo a água serve para a limpeza e purificação das imagens rituais do divino e dos fiéis. No Taoismo a água é um elemento associado ao feminino, portanto Yin e simboliza a sabedoria, as virtudes. No folclore judaico, no momento da criação do mundo, Deus dividiu as águas em inferiores e superiores para distinguir o feminino do masculino. Na Mitologia Egípcia, "Num", o mais antigo Deus Egípcio, simbolizava a água, de onde emergiu a criação sendo suas qualidades: a turbulência, a escuridão e a falta de limites. A água é também um símbolo do Gênese, do nascimento, e para os Vedas é chamada de "mâtrimâh", que significa "a mais materna". Nos mitos dos heróis ela está sempre associada ao seu nascimento ou renascimento. Na arte, a água pode simbolizar o inconsciente, sendo que o ato de entrar na água e dela sair, possui uma analogia com o ato de mergulhar no inconsciente; enquanto que ser lançado à água é similar a ser entregue ao seu próprio destino.


Todas essas são referências que podem auxiliar em uma maior compreensão tanto de nós mesmas quanto do p