Perguntas e respostas para você entender um pouquinho mais sobre arteterapia.

- ARTETERAPIA: o que é isso, Isa?


A Arteterapia se constitui em uma ação terapêutica que é abrangente, holística e sobretudo transdisciplinar. Ela se debruça sobre o pilar: criação, processo criativo e sobre a relação entre o sujeito que cria, o conteúdo que criado e seu processo de criação. As atividades artísticas utilizadas, configuram uma produção simbólica, concretizada por meio de diferentes técnicas expressivas. Essa materialidade permite o confronto e gradualmente, a atribuição de significado às informações provenientes de níveis muito profundos da psique, que pouco a pouco serão apreendidas pela consciência.



A arteterapia, portanto, auxilia a resgatar, desbloquear e fortalecer potenciais criativos, através de formas de expressão diversas. Ela facilita ainda que cada um encontre, comunique e expanda a seu próprio caminho criativo e singular, favorecendo a expressão, a revelação e o reconhecimento do mundo interno e inconsciente.


A AABT (Associaçao Americana de Arteterapia), a conceitua como o uso terapêutico da atividade artística no contexto de uma relação profissional por pessoas que experienciam doenças, traumas ou dificuldades na vida, assim como por pessoas que buscam desenvolvimento pessoal. Por meio do criar em arte e do refletir sobre os processos e trabalhos artísticos resultantes, por meio do criar em arte e do refletir sobre os processos e trabalhos artísticos resultantes, pessoas podem ampliar o conhecimento de si e dos outros, aumentar a auto-estima, lidar melhor com sintomas, estresse e experiências traumáticas, desenvolver recursos físicos, cognitivos e emocionais e desfrutar do prazer vitalizador do fazer artístico.


Existem diferentes linhas e correntes arteterapêuticas, cada uma com seu caminho a percorrer. A minha formação, no caso é em Arteterapia e Expressões Criativas por meio da Abordagem Junguiana e a minha pós-graduação foi realizada pelo Instituto Junguiano de Ensino e Pesquisa da FACIS-SP.


- Quem pode se beneficiar da Arteterapia?


Absolutamente todas as pessoas. Jung fala que todos nós somos seres criativos e eu concordo plenamente com ele. Na Arteterapia não existe a necessidade de já ter experiência com Arte ou saber manipular materiais artísticos. Não há certo e errado, na arteterapia. Não estamos interessados na obtenção de resultados socialmente compreendidos com esteticamente desejáveis. Também não se aborda questões particulares de ordem técnica, acadêmica, nem vinculações a quaisquer escolas artísticas.



Pessoas de todas as idades podem se beneficiar da arteterapia: crianças, jovens, adultos e idosos. Indivíduos, casais, famílias e grupos em contextos que incluem saúde mental, reabilitação, escolas, instituições sociais, empresas, ateliês e prática privada.


- Como é a formação de um arteterapeuta?



Arteterapeutas são profissionais com formação tanto em arte como em terapia. Tem conhecimentos sobre desenvolvimento humano, teorias psicológicas, práticas clínicas, tradições espirituais, multiculturais, artísticas e sobre o potencial curativo da Arte.




- Mas Isa, no caso da abordagem junguiana, como é que funciona esse negócio de Arteterapia?


A Abordagem Junguiana parte da premissa que os indivíduos , no curso natural de suas vidas, em seus processos, de auto-conhecimento e transformação, são orientados por símbolos. Estes emanam do self, centro de saúde, equilíbrio e harmonia, representando para cada um o potencial mais pleno, a totalidade da psique e a essência de cada um. Na vida o self, através de seus símbolos precisa ser reconhecido, compreendido e respeitado.


Em arteterapia com abordagem Junguiana, o caminho será fornecer suportes materiais adequados para que a energia psíquica plasme símbolos em criações diversas. Estas produções simbólicas retratam múltiplos estágios da psique, ativando e realizando a comunicação entre inconsciente e consciente. Este processo colabora para a compreensão e resolução de estados afetivos conflitivos, favorecendo a estruturação e expansão da personalidade através do processo criativo.


Os símbolos particulares, portanto, assinalam , informam e definem sobre os diferentes estágios da jornada de individuação de cada um. Esse caminho único, compreende as transições e transformações em direção a tornar-se um “in”-divíduo, aquele que não se divide face às pressões externas e que assim procura viver plenamente, integrando possibilidades e talentos às feridas e faltas psíquicas.


No setting terapêutico o arteterapeuta, trabalha com a amplificação simbólica. Essa tem o objetivo de aumentar a possibilidade de compreensão do significado de um símbolo. No processo arteterapêutico, abrangerá um conjunto de procedimentos expressivos e plásticos, cuja meta é facilitar a apreensão do símbolo pela consciência. Este conjunto de estratégias poderá compreender a utilização de uma multiplicidade de modalidades expressivas ou, às vezes, o aprofundamento de uma só modalidade, que vai se intensificando à medida que o cliente consegue explorar com mais facilidade suas possibilidades expressivas através deste material plástico.



* Todas as informações acima foram retiradas do livro Cartografias da Coragem, de Angela Philippini.


Fora isso, existe mais um montão de coisas a ser falada à respeito da Arteterapia.


Tentei ser o mais sucinta possível, retirando um conteúdo bem essencial do livro em questão.


Se vocês quiserem saber um pouco mais é só mandar zap-zap, direct ou mesmo deixar sua perguntinha aqui nos comentários.

Aproveite para dar a sua curtida!


E fiquem atentos:

no próximo dia 07/03 estarei conduzindo DUAS oficinas de Arteterapia : uma para mulheres e uma para pré-adolescentes.

.

Fiquem tranquilos que até lá volto a falar mais sobre elas!

.

Abs,

Isa.


INSCREVA-SE TAMBÉM NA MINHA NEWSLETTER E FIQUE SABENDO DE TUDO O QUE ROLA EM PRIMEIRA MÃO

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • whatsapp
  • mail-2

© 2020 . eutedouaminhapaz

ETDMP_2020_Logo.png
0