• Isabella Stephan

Quatro Elementos de Amor!

Atualizado: 4 de Jun de 2019

Acabamos de entrar em junho, mês em que comemoramos o Dia dos Namorados. Dia 12 deste mês é o dia de celebrar o amor entre apaixonadxs, dia de se aconchegar no colo do seu bem, dia de cafuné e juras ao pé do ouvido. No entanto, a data no nosso país surgiu em um contexto nada banhado pelo romantismo, sabia?


Um publicitário, chamado João Dória, em 1948, escolheu a véspera do Dia de Santo Antônio (13 de junho) para instituir uma campanha de Marketing que deu então origem posteriormente ao dia oficial de lotar os restaurantes da cidade e comprar. O objetivo por trás era de pura e simplesmente aquecer o mercado comercial que, exatamente, em junho apresentava um período de queda nas vendas.


Ainda sabendo disso tudo, eu sou dessas que acredita que celebrar é importante. Gosto da alegria que ronda as datas comemorativas e acho até que, por trás de toda essa coisa do capitalismo selvagem, a gente cria mesmo essas datas para no fundo, no fundo termos mais oportunidades de nos conectar uns com os outros. Podem até me chamar de inocente, mas eu prefiro acreditar que tudo o que o Ser Humano (no fundo, no fundo) busca é a oportunidade de Ser e Receber AMOR.


E é aqui que entra a nossa coleção "Quatro Elementos de Amor!", pensada para o Dia dos Namorados que se aproxima, mas totalmente atemporal - afinal, acreditamos que absolutamente todos os dias são oportunidade de dar e receber carinho.


Todas as matérias primas acima foram utilizadas na criação da Coleção "Quatro Elementos de Amor!"

A coleção foi criada em parceria com a Dharma Alquimia, uma marca também de Brasília, cuja missão é inspirar pessoas à fazerem mais pausas, e praticarem o auto-cuidado e a consciência em suas vidas. A Mariana Delgado, proprietária da marca, além de professora de Yoga e terapeuta integrativa, propõe por meio dos produtos vendidos em sua loja virtual, a experiência de cuidado - consigo e com o outro. A Mari é uma mulher entendida da cosmetologia natural, dos florais e da aromaterapia... Um belo dia, ela me procurou perguntando se eu queria ilustrar cartões para compôr seus kits especiais criados para o Dia dos Namorados.


Fomos conversando, nos conhecendo e depois de conhecer um cadinho mais do propósito dela e ver que ele casava bonitinho com o nosso disse: SIM. Nós duas sabíamos que o que queríamos proporcionar com a venda dos nossos produtos eram momentos de afetividade e respiro. Crescemos, então, juntas nesse caminho lindo de acesso à criatividade. Assim, a coleção foi nascendo: cheia de energia positiva e na intenção de cura das relações.


Quando recebi a proposta vivia internamente um momento de muita reflexão sobre o Amor. E tinha chegado ao lugar comum de que o amor, de apenas amor, não se bastava. É preciso também muito respeito às individualidades, cuidado diário e mútuo com a relação, oportunidades de encontros de Alma entre os amantes-inteiros e muito equilíbrio entre todas essas coisas. Foi depois de um dia bem reflexivo com todas essas caraminholas na cabeça e no coração que tive o clique de que, para criar a nossa coleção especial de Dia dos Namorados eu iria trabalhar com: poesia, lettering, aquarela e com os quatro elementos da natureza - água, terra, fogo e ar.


De que é mesmo feito o Amor? Qual a matéria-prima que compõe esse sentimento e que faz dele um dos sentimentos mais substanciais para a Existência humana? Seria o amor feito de moléculas? Que relação teria com a física quântica? Será que todo Ser Humano possui um lugar em que, em essência, é apenas amor? De que elementos esse lugar seria composto? E foi então que a idéia de trabalhar com os quatro-elementos me inundou. A natureza é a resposta. Somos absolutamente feitos de natureza. Uma Natureza divina e sábia.


Rapidamente fui ao meu jardim refúgio-de-paz e esbocei o que iria fazer. Respirei um pouco e agradeci ao Universo pelas conexões e reflexões que tive.

Era hora então de então, por meio das minhas Alquimias, trazer o que percebo como constitutivo do Amor para o concreto. Era hora de sair da subjetividade e transformar toda essa imensidão em Arte.